Entrevistas
 
 
 

Uma história de inspiração para novos empreendedores

Marcos esteve à frente dos negócios da CNS por mais de 60 anos e vivenciou o início da terceirização no Brasil, ainda na década de 40.

“O desafio era educar o mercado e ter uma visão empreendedora para enxergar as oportunidades.
Essa era a meta dos gestores da Empresa Limpadora Brasileira”, relata.

O fundador da CNS tem experiência de sobra para orientar os novos empreendedores que desejam ter sua própria empresa.

 
“Quando você quer começar um negócio, é primordial acreditar nele. E eu acreditei nisso, trabalhei muito duro para chegar até aonde cheguei”, aconselha. A fórmula do sucesso? Para Marcos, é muito simples.
“O segredo é ser o primeiro a chegar e o último a ir embora da empresa”, destaca.

A CNS hoje: um olhar sobre a terceirização

O atual presidente da companhia, José Mauro, assumiu o cargo há três décadas com o desafio de manter o crescimento e a cultura empreendedora no DNA da empresa. Há 80 anos no mercado, a CNS é uma das instituições privadas mais antigas do estado, se mantendo ao longo desse tempo como uma incessante geradora de empregos e recolhedora de impostos.

Após atravessar diferentes ciclos econômicos e sobreviver a diversas crises do país, a empresa aposta em um novo futuro para o mercado de facilities, com o Marco Regulatório da Terceirização. Para o atual presidente, a aprovação da Lei da Terceirização 13.429/17 deverá trazer mudanças positivas a longo prazo.

 
“A lei é boa para todo o segmento e é nosso dever nos adaptarmos para explorar as iminentes oportunidades que deverão surgir no mercado. O desafio é saber quando os contratantes vão estar preparados para absorver a terceirização em sua empresa de forma produtiva e eficiente. Para mim, empresário, o maior ganho é imediato: a regulamentação da atividade”, analisa.

A CNS do futuro

Segundo Maurício, representante da quarta geração da empresa, o significativo aumento da concorrência no setor nos últimos anos converteu a capacidade de se reinventar em uma condição essencial para sobrevivência.

 
“A estratégia que encontramos para tornar a companhia sustentável no longo prazo, e assim nos diferenciar e conquistar ainda mais espaço no mercado, passa indubitavelmente por investimentos em tecnologia e inovação. A incansável busca por maior qualidade e eficiência de nossas operações nos mantém atualizados e não permite momentos de acomodação. Esse é o segredo que vem dando resultado”, observa Maurício, que aposta em um futuro brilhante para a CNS: “Estamos no caminho certo para os próximos 80 anos!”, prevê.
 

Quer fazer parte dessa história?


CONHEÇA AS NOSSAS SOLUÇÕES